Sínodo Nordeste Gaúcho



Rua Barão do Rio Branco , 828
CEP 93610-750 - Estância Velha /RS - Brasil
Telefone(s): (51) 3561-2905
sinodongaucho@gmail.com
ID: 11

Mateus 25.35-36

Prédica

31/08/2014


Prédica do Pastor Presidente proferida no Dia da Igreja 2014


SERVIR E SER FELIZ!

“Que a graça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão com o Espírito Santo esteja conosco hoje e sempre. Amém!”

Meus irmãos e minhas irmãs do Sínodo Nordeste Gaúcho! Com muita alegria, eu quero saudar a todos vocês! Que bom poder estar com vocês nesta manhã, em mais este Dia da Igreja!

SERVIR E SER FELIZ!

Este é o tema deste Dia da Igreja! A palavra bíblica que inspira este tema é extremamente sugestiva, é parte de uma parábola em que Jesus fala do juízo final!

MATEUS 25.35-36:

“35 Pois eu estava com fome, e vocês me deram comida; estava com sede, e me deram água. Era estrangeiro, e me receberam na sua casa. 36 Estava sem roupa, e me vestiram; estava doente, e cuidaram de mim. Estava na cadeia, e foram me visitar.”

A diaconia, o serviço, é uma das marcas bonitas do rosto da Igreja de Jesus Cristo no mundo desde os seus inícios. Esta é também a marca do ministério de Jesus.

Fé e o cuidado para com os que estão numa situação de fragilidade, desde os inícios da igreja cristã, sempre andaram de mãos dadas e se concretizaram em gestos de solidariedade, restauração de vidas, construção de sentido, atitudes e gestos que culminaram na construção de vias e vidas em Comunhão, na construção de relações de paz entre as pessoas.

Na carta aos Filipenses (Fp 2) o apóstolo Paulo conclama a comunidade a que


“5. Tenham entre vocês o mesmo modo de pensar (o mesmo sentimento) que Cristo Jesus tinha: 6 Ele tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus. 7 Pelo contrário, ele abriu mão de tudo o que era seu e tomou a natureza de servo, tornando-se assim igual aos seres humanos. E, vivendo a vida comum de um ser humano, 8 ele foi humilde e obedeceu a Deus até a morte – morte de cruz.”
Jesus mostra o caminho!

Nesta perspectiva, a diaconia, o servir, o exemplo de Cristo é caminho fundamental que resgata nossa humanidade, abre vias, caminhos que constroem comunhão!

Servir resgata nossa identidade como filhos e filhas de Deus! Servir cura de muitas doenças! Servir nos coloca lado a lado com irmãos e irmãs na comunidade. Servir restabelece nossa humanidade, assim como Cristo viveu e assumiu a forma de servo, assumiu a humanidade em toda a sua radicalidade! Servir é uma das dimensões fundamentais do amor! Nós amamos porque Deus nos amou primeiro (1 João 4.19). Servir é resposta de gratidão.

ESTE amor que se traduz no servir, no SERVIÇO, GERA ALEGRIA E LEVA À COMUNHÃO!

Será que conseguimos dimensionar o milagre que estamos vivendo no dia de hoje, neste Dia da Igreja e o que pode representar nas nossas vidas? Perceber em todos os trabalhos diaconais organizados aqui no Sínodo Nordeste Gaúcho, nas inúmeras instâncias que existem em nossa IECLB, no serviço diaconal realizado por inúmeros grupos como a OASE, LELUT, JE, a ação do Espírito Santo que congrega, reúne. Que transforma, abre nossos olhos? Trata-se, portanto, de um testemunho muito bonito e necessário!

Exatamente numa sociedade em que,como seres humanos nos desumanizamos, nos tornamos insensíveis, cruéis, em que a regra é competir, vencer, ser grande, denegrir, excluir, criminalizar, não tolerar, não se encontrar, acumular, preocupar-se apenas com seus interesses, seu bem-estar, consumir e endividar-se, onde nos desestruturamos como pessoas, como família, como comunidade, este testemunho faz toda a diferença!?

Quando o Pastor Altemir me convidou para trazer a mensagem para este Dia da Igreja e mencionou o texto bíblico, num primeiro momento fiquei pensativo!
Os versículos do evangelho de Mateus são parte de um bloco maior que fala do juízo final! Isto combina com um dia da Igreja? Combina com o tema SERVIR E SER FELIZ? A figura do beija-flor? Afinal, juízo final normalmente nos induz ao medo, ao pavor, inspira visões nada tranquilizadoras!

O texto é bastante conhecido: quando o Filho do homem vier como Rei! Assim começa! Ele vai separar as pessoas assim com o pastor separa as ovelhas de um lado, cabritos do outro! Benditos para um lado, malditos para o outro! Uns para a direita, outros para a esquerda. Afinal, o que Jesus estava querendo ensinar com esta parábola?

Quero destacar deste texto que fala do juízo o seguinte:uma primeira convicção: Deus em Cristo tem o poder e o controle sobre a história humana. Uma segunda convicção: O Evangelho de Mateus inicia falando de Jesus como o Emanuel, o Deus conosco (Mt 1.23). No meio do evangelho de Mateus, 18.20, Jesus diz: “Porque onde estiverem reunidos dois ou três em meu nome, ali estou no meio deles”. No final do evangelho Jesus promete (Mt 28.20):“E eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século”. Portanto, nosso mundo não está largado a um destino cego. Nós não estamos sós! Deus é presença viva entre nós e em nossas vidas. Em Cristo Deus se revela o Deus misericordioso. Esta palavra nos chama à confiança no agir justo de Deus.
Outro aspecto fundamental é que esta palavra de Jesus é dura sim! Questiona nosso testemunho enquanto Igreja. Mas cá entre nós, nosso mundo, a nossa sociedade, não está nada legal! Vivemos numa sociedade doente! Perdemos nossa identidade enquanto gente, seres humanos, pessoas. Senão vejamos:

- Nesta última semana estamos sendo confrontados novamente com o caso do menino BERNARDO! Isto é humano? Tem como justificar algo nesta tragédia? Quanto ódio, agressividade, frieza! As gravações que vêm a público, feitas pelo próprio pai, nos assombram! Estas gravações revelam que nós não temos a mínima ideia do que acontece na casa do nosso vizinho! Revelam uma enorme violência, muito silêncio, muita dor, muito desamor! Quantos Bernados há por aí? Quantas famílias “quebradas” que não conseguem mais conversar, nem que seja para decidir que vão tomar caminhos diferentes!

- Tenho brincado, mas é trágico, nas assembleias sinodais com outra história. Será que o SECO vai ter que nos ensinar novamente o valor da amizade, da lealdade, da cumplicidade, da paixão, do amor.Ensinar-nos a sermos novamente HUMANOS? O SECO é um cachorro vira-lata (da cidade de Passo Fundo) que ficou esperando por mais de 20 dias seu amigo LAURI que estava hospitalizado. Ele não podia entrar no hospital. Mas não arredou o pé da frente do hospital. Esta história gerou uma comoção enorme!

As palavras de Jesus neste texto que fala do juízo final nos alertam para nosso fracasso quando se trata de amor, de amar, quando se trata de serviço.
Mas o Dia da Igreja nos convida a Servir e ser Feliz! Como conciliar esta palavra dura de Jesus com a alegria?

Compartilho com vocês as sábias palavras do Pastor Brakemeier:

“A alegria é o sentido da vida. (...) Quem é alegre não problematiza a vida, não se desgasta em amargura e insatisfação e até mesmo desconhece a agressão. Raiva não combina com alegria. (...) Por isso mesmo alegria é característica do reino de Deus (Rm 14.17). Em suas bem-aventuranças, Jesus prometeu aos tristes que haverão de rir (Lc 6.21). Deus converte lágrimas em risos. A religião cristã é a religião da alegria. (...) E o que a fé cristã espera para o fim da jornada terrestre é alegria já não mais ameaçada por crime, dor, morte e vaidade. Estamos aí para nos alegrar. É esse o sentido da vida, e é isso que lhe confere valor. Mas como alcançar o objetivo? Alegria precisa ser aprendida. Há condições a cumprir.”( Gottfried Brakemeier, Sabedoria da fé num mundo confuso, página 9)

O servir precisa ser aprendido! Neste sentido, a parábola de Jesus ensina um caminho!

A questão é:

O que queremos da nossa vida? Ser feliz!??

O que é que dá vida à nossa vida?

O que a faz valer a pena?

Seguidamente escuto pessoas que dizem: eu já tenho minhas preocupações, meus problemas, minha agenda. Não tenho tempo e aí vem vocês da Igreja e ainda colocam mais preocupações na minha cabeça que já está cheia?

Problemas fazem parte de nossa vida. O risco é deixar que eles nos transformem numa pessoa amargurada. As crises vão estar sempre se sucedendo e às vezes você não terá escolha. Hoje sua vida está legal, mas amanhã você é surpreendido com a notícia de uma doença grave.

As crises você não pode escolher, mas pode escolher a maneira de enfrentá-las. Aqui volto novamente ao Pastor Brakemeier que diz o seguinte:

“Quem ama, arrisca frustrações, decepções, sofrimento. Mas quem não ama, arrisca muito mais, a saber, o vazio de uma existência tristonha, fria, sem sentido. Por isso mesmo é essencial aprender a amar, a gostar de algo.(...) Amar (servir) constrói sentido! Ele é uma das premissas de alegria e coragem de viver”. (idem, página 10)

A escolha será sua!

A pergunta de fundo que Jesus nos faz é a seguinte: Como é que nós nos cuidamos? Como estamos servindo?! Como nos tratamos? Como cuidamos dos outros, das outras? Este cuidado, ou a falta dele, é interpretado por Cristo como algo que foi feito a Ele mesmo.

E aqui entram os versículos destacados para este Dia da Igreja. Eles apontam para dimensões muito concretas! Temos coração sensível para aqueles que têm fome, têm sede, não têm onde morar, não têm como vestir, estão doentes, estão presos? Para eles Deus olha e nos convida a olhar também. Para estes a parábola do juízo não é mensagem de medo, mas sim, de conforto e esperança. Por quê? Porque a injustiça terá um fim.

Para finalizar, quero compartilhar uma estória (não descobri a fonte) que recebi e pode nos inspirar na perspectiva do tema deste Dia da Igreja:

“Certa vez um jovem perguntou o seguinte para um sábio:

- Por que existem pessoas que saem facilmente dos problemas mais complicados, enquanto outras sofrem por problemas muito pequenos, e até mesmo morrem afogadas num copo de água?

Ele sorriu e contou uma história.

Era uma vez um sujeito que viveu amorosamente toda a sua vida. Quando morreu, todo mundo lhe falou para ir ao céu. Afinal, um homem tão bondoso quanto ele somente poderia ir para o Paraíso. E ele foi até lá.

Naquela época, o céu ainda não tinha informatizado o cadastro. A recepção não funcionava muito bem. A moça que o recebeu deu uma olhada rápida nas fichas em cima do balcão e, como não viu o nome dele na lista, lhe orientou para ir ao inferno.

E o inferno, você sabe como é. Ninguém exige crachá, nem convite, qualquer um que chega é convidado a entrar. O sujeito entrou lá e foi ficando. Alguns dias depois, Lúcifer chegou furioso às portas do paraíso para tomar satisfações de Pedro:

- Você é um sacana. Nunca imaginei que fosse capaz de uma baixaria como essa. Isso que você está fazendo é puro terrorismo!

Sem saber o motivo de tanta raiva,Pedro perguntou surpreso, do que se tratava. O demônio, transtornado, desabafou:

- Você mandou aquele sujeito para o Inferno e ele está fazendo a maior bagunça por lá. Ele chegou escutando as pessoas, olhando-as nos olhos, conversando com elas. Agora está todo mundo dialogando, se abraçando, se apoiando. O inferno está insuportável, parece um Paraíso!

E fez um apelo:

- Pedro, por favor, pegue aquele sujeito e traga-o para cá!

Quando o sábio terminou de contar essa história, olhou carinhosamente e disse:

- Viva e sirva com tanto amor no coração que, se por engano, você for parar no Inferno o próprio demônio lhe traga de volta ao Paraíso!”

Servir e ser feliz! Viver a fé em Cristo é um exercício constante de cuidado e esperança no agir de Deus e na transformação que quer provocar através de cada um de nós ali onde estamos.

“Que a paz de Deus que excede todo o entendimento guarde nossos corações e nossas mentes em Cristo Jesus, nosso Senhor.Amém!”

Nestor Paulo Friedrich

Pastor Presidente da IECLB
 


Autor(a): Nestor Paulo Friedrich
Âmbito: IECLB / Sinodo: Nordeste Gaúcho
Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 25 / Versículo Inicial: 35 / Versículo Final: 36
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 29988

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

A Deus, aos pais e aos mestres, nunca se poderá agradecer e recompensar de modo suficiente.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Tudo o que está nas Escrituras foi escrito para nos ensinar, a fim de que tenhamos esperança por meio da paciência e da coragem que as Escrituras nos dão.
Romanos 15.4
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br